Sua vida é feita em tópicos?

09/04/2013 21:30

 

                                                                                          As  “Gavetas”  são de Salvador Dali

 

Estava eu na Internet à procura de uma imagem para uma crônica e me deparo com esta pérola acima. E não é que caiu como uma luva para este texto? Espero que achem também...

Durante uma aula no Ensino Médio, na qual havia proposto um momento de autoavaliação para os meninos e meninas, uma aluna perguntou-me se o texto dela poderia ser em tópicos. Respondi-lhe que era um momento de reflexão, análise, introspecção e que, obviamente, eu queria um texto mais subjetivo e, portanto, menos seco e compartilhado, como as gavetas acima. Em seguida, joguei para ela a mesma questão, a qual coloco agora para você, íntegro leitor: A vida é feita de tópicos, de partes?

Você, quando vai andar de bicicleta estuda tópicos como:

 

1-    Montar-se no acento adequadamente;

2-    Segurar-se de forma anatômica no guidom da bicicleta;

3-    Colocar os pés firmemente nos pedais e rodá-los de forma inteira em um círculo completo?

Acho que não...

 

Ou então quando vamos beijar alguém. Imagine os tópicos:

 

1-    Aproxime levemente as maçãs do seu rosto com as do seu par;

2-    Abra sensivelmente os lábios, deixando-os tocarem;

3-    Introduza, após alguns segundos, a parte frontal de sua língua no orifício bucal de seu par- se assim o desejar- fazendo movimentos leves?

 

Vamos combinar: Isto parece um manual de dentista! E aí, você ainda está pensando qual método prefere? Quer colocar tudo na sua vida em gavetas ou tópicos ou simplesmente deixar que os sentimentos e emoções fluam e se desenvolvam como a bicicleta que vai ganhando o caminho ou como o beijo que vai ganhando magia e vida própria?

Sim, tópicos são necessários em alguns momentos ou setores de sua vida; Mas em outros, “deixe estar, deixe passar”, os Iluministas já lembravam... Curta o momento e as experiências de forma fluida, assim como o abraço que te deixo: inteiro, sem interrupções, do início ao fim e, portanto, nada separado em tópicos!

 

Dedico esta crônica aos alunos do 2º E.M., em especial à Vanessa pela sugestão “tópica”,

e aos meus ex-alunos do 9ºano de 2012.

( Eduardo C. Souza é professor de História e escreve mensalmente neste espaço).