Jovens Literatos

08/10/2013 15:56

 

 

 

Tenho orgulho de poder dizer que novas gerações de leitores aparecem com mais frequência do que antigamente. Para ser sincero, eu mesmo tenho procurado novos escritores para me encantar com a literatura, de preferência brasileiros, já que o meu foco literário sempre foram livros internacionais. De qualquer jeito, se procurarmos na internet sobre literatura brasileira veremos páginas e mais páginas de diversos escritores, o que muito me orgulha dizer. Acontece que aqui, no nosso país, a literatura nunca foi considerada uma profissão de verdade. Claro que conheço os grandes escritores brasileiros de antigamente como Monteiro Lobato, que praticamente recriou a literatura infantil do jeito que nunca vimos, com suas fantásticas histórias sobre O Sítio do Pica-Pau Amarelo, ou Cecília Meireles, uma das maiores representantes da poesia brasileira. O que quero dizer aqui é que antes era necessário exercer outra atividade para ganhar a vida, mas hoje muitos escritores vivem somente da literatura.

É fácil observar como alguns escritores não são mais tão influenciados pelos problemas atuais do Brasil em que vivemos. No tempo da ditadura militar, muitos deles escreviam sobre a política, desigualdade social e ideologia, mas os jovens escritores de hoje que estão se destacando na literatura chegaram no final da ditadura em 1980. No entanto, alguns críticos ainda defendem a ideia que alguns livros, embora não tratem explicitamente de ideologia, tratam das questões do cotidiano urbano ou dos papéis sociais da mulher.

A verdade é que, felizmente, os escritores brasileiros estão cada vez mais familiarizados com a literatura madura, portanto são capazes de falar sobre qualquer tema, tornando a literatura brasileira mais ativa no mundo globalizado. Que os escritores garantam o seu lugar de direito no mercado literário. E eu, com certeza, serei um dos leitores que estarão em busca de suas obras.

 

Giordano Devêza é aluno do 8º ano e escreve mensalmente neste espaço.