Incertezas

07/03/2013 19:56

                                   

 

 

Certo dia deitada no sofá, comecei a pensar...  

 

Que há um tempo eu tinha mais coragem de me atirar no mundo.  Eu sentia mais confiança nas pessoas, mais... sei lá.

 

Com o tempo nós perdemos a esperança de poder confiar inteiramente em alguém, pelo menos aconteceu comigo. Isso ocorreu depois  de tanto ver que as rosas vermelhas que tanto almejava vinham cobertas por espinhos, e  eu, para evitar que alguns arranhões se tornassem grandes feridas, como algumas que ainda carrego abertas e outras que viraram cicatrizem, passei a  me sentir assim.  

 

O mundo se tornou, digamos assim, mais feio quando comecei a enxergar que eu não poderia viver para amar cegamente as pessoas, pois as pessoas vivem cegamente para amar as coisas. E depois dessa descoberta, pode ter certeza que comecei a me amar mais.

 

O mundo que está tipo em preto e branco me fez procurar cor dentro de mim, e, pra minha surpresa, eu encontrei. 

 

Descobri que a única coisa que preciso pra ser feliz é a falta de certeza sobre o que vai acontecer amanhã. Mas na verdade, as incertezas atualmente são o que me movem. Elas me levam aos pingos restantes de esperança que ainda vagam perdidos pela minha mente, e não me deixam desistir de buscar minha paz.

                                                                                                              

 Lorrana Viana