Cruzadas – Parte 2– Gabriel Toffanetto, Sávio Neves e Stéfany Coura

19/06/2013 20:31

ROTEIRO DO FILME: “CRUZADAS”-PARTE II

   O RETORNO A JERUSALÉM

 

Após a tomada de Jerusalém pelos muçulmanos, eles estavam vivendo na cidade santa.

Com a chegada da peste negra, muitas pessoas estavam morrendo, por isso os muçulmanos estavam pedindo a ajuda dos cristãos para deter a doença, então eles também voltaram a Jerusalém.

Eles estavam vivendo em harmonia, mas convivendo com o enforcamento de feiticeiras. Eles  suspeitavam que elas tivessem espalhado essa peste. E havia  também os rituais feitos com as  bruxas para tirar o espírito do mal que há dentro delas. Com isso as chances de haver uma nova cruzada estavam aumentando, pelo fato de não aceitarem o modo de vivência de uma religião diferente. Também por eles quererem converter os integrantes da outra religião, sendo que um não aceitava a religião do outro. Os muçulmanos queriam levar os cristãos a serem da religião deles e vice-versa.

Então, logo veio a ter outra cruzada, na qual o exército de Balian empatou com o exército do Saladino, por causa de números de soldados e por causa também da peste.

Então, Balian e Sibylla tentaram convencer Saladino a assinar outro acordo de paz, mas esse era permanente. Com isso, todos voltaram a viver em Jerusalém sendo muçulmanos e cristãos.

Depois de estarem em paz, começaram a surgir as feiras medievais, onde se vendiam artigos cristãos e muçulmanos. As feiras eram sempre saqueadas por integrantes da outra religião, tanto por não aceitar a venda dos artefatos de outra religião, como também para obter mais lucro. Então, todos decidiram também dividir os lucros das vendas.

Os servos estavam começando a ficar revoltados por não poderem comprar as coisas nas feiras e também por receberem uma comissão muito pequena. Então, eles revoltados abandonaram seus senhores em busca de uma vida mais digna e com melhores salários.

Depois de tudo isso, eles já na era do capitalismo, estavam construindo cidades mais modernas e com isso foram acabando com a peste negra. Nesse sistema econômico, o mais rico era mais poderoso. Então Balian e Sibylla se casaram e se tornaram muito poderosos por causa disso. O Saladino também era muito poderoso, mas eles viviam em harmonia, por precisarem uns dos outros.

Com o capitalismo, começaram a chegar grandes navegações, com novos produtos, alimentos, arma para a defesa da cidade, móveis, remédios, técnicas médicas e muito mais.

Com a chegada dessas navegações, também foram trazidas novas culturas, religiões, raças entre outros, fazendo assim uma grande mistura de povos religiões e culturas na cidade santa.

Depois de todos esses acordos de paz e acontecimentos, Jerusalém virou a cidade santa sem intolerância religiosa, já que todos viviam em paz. E também se tornou uma grande exportadora de produtos, artefatos religiosos e outros.

Com isso, Jerusalém foi evoluindo com muita rapidez e todos estavam vivendo em paz, sem muitos desentendimentos entre eles. Os dois povos perceberam que um realmente precisava do outro e, para melhor se modernizarem, tinham que batalhar e viver juntos. 

 

 

 

Gabriel Toffanetto, Sávio Neves e Stéfany Coura