Como vão suas coleções?

21/03/2018 23:51

 

Vivemos imersos numa sociedade capitalista. E essa ideia não é nova pra nós. Aliás, sempre estivemos, visto que não chegamos a experimentar um socialismo/comunismo/Marxista-Leninista na prática.

Então, se estamos sob a égide das verdinhas, é natural que queiramos comprar. E continuamos a fazê-lo. E muito! Nessa estória, acabamos por adquirir muita quantidade de um mesmo produto. Assim, formamos coleções.

Você faz coleções de quê? Conheço gente que coleciona: sapatos, blusas, livros, carros, latas de cerveja, biquínis, chaveiros, anéis, óculos, selos, violões, cartas, garrafas, rolhas, canetas, lápis e por aí vai...

Eu decidi colecionar música, em formato de CD’s e vinis. Colecionei CD’s por um longo tempo, e vinil por um curto. Agora, já crescido e mais ciente do que colecionar, dados os meus provimentos mensais, voltei para os bolachões de vinil, pretos e em cores variadas. Lindos que só! Tenho comprado regularmente e confesso que abrir a caixa, cheirá-los novinhos e colocá-los pra tocar é de um prazer quase indescritível! Na impossibilidade de comprar sempre, olhei para o lado e percebi a incrível coleção dos disquinhos prateados que tenho.

E aí, a mágica se fez: Tornei a ouvi-los regularmente na ida e na volta do trabalho, dentro do carro. E as lembranças advindas são ótimas! Sobre o prazer de ter coisas, aqui vão minhas sugestões:

Tenha coleções. Faz um bem danado pra alma;

Cuide bem das suas coleções;

Use suas coleções! Senão, você se esquece do que tem. E comprar repetido não rola, né?

Não deixe de viver por suas coleções. Aquela peça nova, por mais que querida e rara, pode esperar um pouco mais. Você tem outras prioridades;

E não se esqueça, para terminar, que seus dias estão aí para serem degustados, assim como suas coleções.

Abraço cordial!!!

 

 

 

Eduardo C. Souza é Professor e Escritor, Autor de Memórias de um homem quase sensato e Violeta 34. Escreve periodicamente neste espaço.

 

 

Eduardo C. Souza  é professor de História, escritor romancista, contista e cronista. Escreve mensalmente neste espaço.