A magia do natal

31/12/2013 17:30

 

 

Ah o Natal... não há nada como montar com a família aquela maravilhosa árvore de natal, sair para comprar os presentes nas ruas movimentadíssimas de pessoas que deixaram para comprar na última hora e acabar não comprando quase nada. Ou seria melhor dizer não havia nada como isso? Renas voadoras, um senhor de vermelho com um saco mágico de brinquedos, histórias e mais histórias que muitos julgariam ser para crianças, mas é só aquela linda magia que está sempre conosco nessa época do ano.

Um bom professor nos disse uma vez (para mim e para os demais alunos) que aquele livro não era livro de criança, no caso um livro que estávamos trabalhando. Para mim, o Natal é como o livro. Alguns julgam ser brincadeira de criança acordar no meio da noite para tentar ver o Papai Noel, ou colocar biscoitos e leite em alguma mesinha próxima a lareira, mas aquele senhor de barba branca existe sim, no coração de cada adulto que teve que trabalhar duro para conseguir comprar os presentes, ao ver o sorriso de seus filhos.

O Natal não é uma época para ser subestimada, uma época da infância, o Natal é muito mais do que isso. É amor, amizade, em que abraçamos aquele irmão ou irmã que sempre pegou no nosso pé. Chega a ser até muito mais do que isso, para aqueles que não podem sempre conseguir um presente ou outro para as crianças, ou não consegue pagar uma árvore grande e muitos enfeites natalinos, mas o amor que vem junto dessa data não tem preço, ele sempre está presente.

Infelizmente os velhos hábitos estão se perdendo. Que criança haveria de acreditar em Papai Noel descendo a chaminé quando muitas casas hoje só tem aquecedor elétrico? Como os pais aguentam pagar cada um dos presentes tão caros que as crianças de hoje estão mais interessadas? Onde estão os livros, os suéteres que as avós tricotam para os netos? Hoje as crianças querem saber de videogames, celulares e computadores. Não me entendam errado, tenho muitos amigos que morrem por um livro, eu mesmo posso me reconhecer como um desses, mas não há como negar que a essência do Natal não está sendo passada para frente.

Bem, tirando esse pequeno detalhe, é isto que o Natal é, ou ao menos deveria ser. É o momento de parar no tempo, com os familiares e com os amigos. É o dia que se destaca dos outros, que quebramos as rotinas, que ficamos em paz. Desejo a todos um feliz Natal e que tenham um ótimo 2014.

 

 

Giordano Devêza é aluno do 8º ano e escreve mensalmente neste espaço.