Você não está sozinho.

19/09/2013 21:21

 

                                         

 

Talvez esse seja só mais um texto com frases bregas e clichês. Talvez o que eu vá falar sejam apenas mais “ditados de avó”, os quais estamos tão habituados a ouvi-los que esquecemos que eles podem realmente ser importantes. Mas já parou pra pensar que “quem nos ama nunca nos abandona”? Como eu disse, é uma frase bem clichê, mas é a verdade.

Isso foi uma das coisas que eu mais demorei a entender, que quem nos ama nunca nos abandona. Quem teve que partir continuará nos amando independente de onde esteja, e quem nos vira as costas na verdade nunca nos amou. É mais simples do que parece, difícil é entender que é tão simples. Sofrer por isso é inevitável e dizer que o tempo cura é mentira. O tempo te amadurece, te faz entender que a morte é inevitável, que a distância é relativa e que mentiras são mais verdadeiras que as verdades. Quem “cura” é você. O tempo só te deixa mais maduro.

Uma frase clichê, muito usada em filmes de terror e que eu gosto muito, é: “você nunca está sozinho”. Mas já pensou que isso é bom? Sempre vai ter alguém do seu lado que quer seu bem – ao contrário dos filmes de terror. E, quando eu digo “do seu lado”, não é apenas em forma física. Existe uma música que toda vez que eu começo a pensar que estou só, eu a ouço , e ela tem a seguinte frase: “Mesmo que eu estou sozinho, eu sei que não estou só, porque eu sei que há alguém, em algum lugar orando para que eu chegue em casa”. Ela me lembra de pessoas que são muito importantes para mim, algumas eu tive que aprender a viver sem e outras estão ao meu lado fisicamente também. É complicado. Mas eu sei que cada uma dessas pessoas reza, cada uma do seu jeito, por mim. E eu, do meu jeito sem jeito, faço o mesmo por elas. Para rezar não precisa de uma religião, e para quem acha que eu estou levando esse texto para o lado religioso, saiba que para rezar basta querer o bem e torcer para que essa pessoa fique bem.

De toda forma, pensem nisso, reflitam bastante. Garanto a vocês que não são apenas palavras vazias. Dizem que todo poeta é falso, mas eu nunca fui tão verdadeira ao escrever um texto.

Dedico esse texto a quem se foi e a quem ficou. A quem me ama e me protege e agradeço a todos vocês, todos os dias, por me lembrar de que nunca estive abandonada ou sozinha.

Recomendo ouvir durante/após ler esse texto, Carolyn-Black Veil Brides:

 

 

Maria Letícia Nolasco é aluna do CAOP e escreve mensalmente neste espaço.