Sonhos e Desejos

02/03/2015 19:41

 

Desejos; quem não adoraria ter os seus realizados? Todos têm seus desejos, mesmo que secretos. Normalmente, tendemos a desejar aquilo que não podemos ter. Afinal, algo que se pode ter não é desejado com força.

Muitas pessoas confundem querer com desejar. O querer é inconsequente, possui uma relação menos objetiva com o que se ambiciona. Se conseguir, ótimo, do contrário, paciência. O desejo por sua vez, é aquilo pelo que achamos que vale à pena lutar, fazer sacrifícios. Já os sonhos, estes sim, são mais difíceis de explicar. 

Vendo pelo lado científico (que, em minha opinião, é totalmente sem imaginação), sonhos são nada além de manifestações do inconsciente. Não vou aqui, caro leitor, em hipótese alguma, criticar e muito menos desafiar a Ciência, pois eu pessoalmente não tenho condições e/ou argumentos suficientemente consistentes para contradizê-la. Porém, observando por um lado mais criativo e um tanto poético, sonhos são uma dádiva, porque neles podemos alcançar nossos desejos, mesmo que em outro plano. Sonhar é uma forma de refletir sobre as consequências do que se deseja, pois na vida real tendemos a não pensar no impacto que a realização de um desejo pode causar.

Durante o sono abrimos portas para um mundo inteiramente nosso, onde estão ocultos todos os nossos medos, lembranças, segredos, esperanças, desejos. Por isso, acredito eu que, quando dizemos “sonhar com algo”, estamos, mesmo que inconscientemente, nos referindo ao desejo, que é tão forte, tão esperado e, às vezes, tão secreto, que se manifesta durante o sono, em forma de sonho, porém sem precisar arcar com as consequências de se perseguir o desejo.

 

 

 Lis Vieira da Mata é aluna do 7º ano e escreve mensalmente neste espaço.