Dois mundos... uma escola. 4º capítulo: Magia

19/09/2016 18:32

 

Se passaram algumas noites, mas teve uma noite, uma noite que eu surtei do nada, era uma noite de lua cheia, normal como todas as outras, até que isto aconteceu:

- Gabi!!

- Que que foi, menino?!

- Minha perna tá doendo!

- Quando ela olhou para minha perna, ela estava sangrando sem motivo algum.

- E então?! O que é?

- Nada, não se preocupe! – Afirmou ela enxugando o sangue com um pano – Agora vou ali e já volto, hein! Qualquer coisa, me chama.

- Tá bom. – Afirmei para ela.

Quando ela olhou para o pano que enxugou, o sangue estava com um desenho de caveira desenhado. Gabi se assustou, mas resolveu não contar nada para mim.

- Nossa! Como isso é possível?! – De repente ela escuta um barulho:

- Gabriel?! Gabriel, é você?

Ela foi indo para o lugar onde eu estava e quando chegou teve uma surpresa, pois eu não estava mais lá .

- Gabri?! Gabri?! Onde você está?

De repente, apareceu um vulto atrás dela, sem ela perceber, e falou com uma voz rouca:

- Eu estou aqui!

Quando Gabi olhou para trás, ela me viu todo ensanguentado e com os olhos vermelhos parecendo que estava possuído.

- Ga... Gabri?

- Meu nome não é Gabriel! É Faraofa! Eu possui o corpo de seu amigo!

- Só podia, né!? Ele adora farofa! Agora de tanto comer, virou uma farofa!

- Meu nome é Faraofa! – Eu, ele, nós.... ah! deixa para lá! E Empurrou a Gabi em direção a parede.

- Ga... Gabri, se você estiver aí lute! Vença esse Seu Farofa!

- Já disse! Meu nome é Faraofa!

- Tá bom! Tá bom, senhor Farofa!

- Ah! Tanto faz! Agora irei te matar como o Senhor Herobrine me pediu!

- Ah, só podia ser né!? É Herobrine pra lá, Herobrine pra cá ...

- Cala a boca! – ele dá um tapa na cara da Gabi.

- Ah... eu só queria ter um jeito de acabar com você de uma vez por todas!

De repente, logo após Gabi falar isso, ela viu a espada que Gabriel usou na luta para matar a múmia e a pegou:

- Tome essa!

- Arg...! Você não pode me bater, pois tudo o que eu sentir, seu amigo também sentirá!

- E mais, eu posso te desconjurar!

- Hahaha. Como? Você não sabe fazer isso! Não blasfeme!

- E se eu souber!? – diz ela pegando o livro.

De repente logo após Gabi pegar o livro, ela abre numa certa página e diz algumas palavras estranhas parecendo de outra língua:

- Hena bidê sariana forem core tardos!

Seus olhos começam a ficar azuis claros e quando ela olhou pra mim, tacou o feitiço fazendo o farofa sair do meu corpo. De repente, após recitar o feitiço, caí no chão inconsciente bem perto dela. Depois de algumas horas, nós dois acordamos e dessa vez, por algum motivo, eu lembrava de tudo que havia acontecido:

- Gabi! O que foi aquilo?! Seus olhos ficaram azuis, você ficou estranha!

- Eu não sei!! É que eu estava lendo aquele livro, nos dias em que sua perna estava doendo, e vi que havia alguns feitiços, então tentei praticá-los e foi isso o que aconteceu!

- Gabi! Isso foi muito...

- Estranho! Já sei disso...

- Muito louco! Você ficou mó legal naquela hora! Parecendo uma bruxa do Harry Potter.

- Sério?!

- Sim!

E então descobrimos que a Gabi tinha superpoderes e que aquele livro com certeza não era um livro normal. Essa foi uma noite ‘normal’ como as outras!

 

Quarto capítulo do livro "Dois mundos...uma escola." 

 

 

Gabriel Lima Rodrigues cursa, atualmente,  o 6º ano na Escola Major Raimundo Felicíssimo e escreve regularmente neste espaço.

Veja os outros capítulos na coluna do Gabriel.