Dois mundos...uma escola. Segundo capítulo: Herobrine.

16/08/2016 18:05

 

De repente um vulto preto com os olhos brancos brilhantes parecendo uma lâmpada de tanto brilho começa a aparecer na nossa frente.

- Vocês nunca saíram daqui!

Sabe aquela voz rouca, mas tão rouca que dá vontade de você oferecer uma água para o cara? É essa a voz dele!

-E.... quem é você! – Digo eu com um tom de coragem-

-Vocês não precisam saber meu nome, só saibam que eu estou falando a verdade!

Do nada esse cara começa a sumir bem na nossa frente.

- Gabi, o que aconteceu?

- Não me pergunte!

- Você não era a salvadora?

- E você não era um homem?

- Ah Gabi! Ó.. não enche!

- Já chega! Cansei disso! Vou procurar provas! Para saber o que aconteceu e onde estamos!

A Gabi saiu caminhando em direção a escola e foi em direção a sala do diretor!

- Gabi! Espera aonde você vai?!

- Já te disse! Vou procurar provas!

De repente escuto um barulho

- Ai meu Deus! Que barulho foi esse! Gabiiiiii!!!!

Eu saí em disparada correndo atrás da Gabi e quando cheguei ela estava dentro de um buraco, dentro da escola, fuçando em um baú:

- Gabi!! Quer me matar do coração, menina? Que raio de barulho foi esse?

- Bem, é que enquanto estava procurando coisas, achei um alçapão trancado na sala do diretor e taquei a cadeira nele, hehe... engraçado, né?

- Uhum.. e eu aqui morrendo de medo achando que você se machucou, né senhorita?!

- Mas Gabri! Olha o que eu achei!

De repente ela tira do baú um livro velho que parece um diário.

- Um diário velho! Abre logo, Gabi! Vamos ler!

- Está bem! Vou abrir! - E no diário está escrito:

 “Hoje, Dia 24 de maio de 2000 descobri que essa escola é enfeitiçada por um ser místico chamado Herobrine, ele enfeitiçou a escola para que quando duas almas de um menino e uma menina perfeita se cruzassem, a escola seria enviada para o seu mundo, o mundo dos pensamentos. E uma vez lá, ninguém poderá sair, a não ser derrotando o Herobrine, o guardião desse mundo. Mas apenas a menina e o menino perfeito podem derrotá-lo, mas eles NÃO existem! Bom, pelo menos não ainda. ”.

- Eh! Com isso eu acho que, FUD... BAHIA! Estou indo para o Havaí! Tchau... – Digo, indo para longe –

- Gabriel Lima Rodrigues da Silva! Volte aqui, menino!

- Não vai adiantar me chamar pelo nome...!

- E mais, você esqueceu que a gente não está na Terra e você não vai querer ficar sozinho, vai?

- Ta bom, tá bom, só porque você insistiu...

- Você entendeu? A gente vai ter que matar esse tal de Herobrine!

- Ahhh... Voltando para o Havaí...

- Volta aqui!

- Tá. Nossa! Você nem sabe brincar. E também como vamos achar esse tal de Herobrine?

- Tem mais páginas no diário, né?! Vou procurar mais coisas sobre o Herobrine!

- Finalmente uma boa ideia!

- Bom, aqui diz que nunca foi visto por pessoas que viveram, mas há uma suspeita que ele tem olhos brancos, brilhantes... Quem será que é esse cara?

- Gabi! E aquele cara que falou que a gente nunca sairia daqui!

- Tô começado a achar que é verdade! Nunca vamos derrotar esse cara!

- Mas, Gabri! O livro falou que apenas nós podemos derrotá-lo!

- É... MAS COMO?

- Isso já não fala aqui no livro! Apenas há um mapa bem velho, olha!

A Gabi me passou o mapa velho como os de mapa de tesouro:

- Mas que estranho, ele em vez de um x tem é uma caveira na sua localidade final! E caveiras significam perigo, perigo significa MORTE!

- Gabri! Pensa bem, se ele quisesse nos matar já teria nos matado naquela hora que não sabíamos de nada!

- É mesmo... E então? O que estamos fazendo aqui parados ainda? Vamos percorrer esse mapa!

- Tá bom! Vambora cambada!

 

Segundo capítulo do livro "Dois mundos...uma escola." 

 

 

Gabriel Lima Rodrigues cursa, atualmente,  o 6º ano na Escola Major Raimundo Felicíssimo e escreve regularmente neste espaço.

Veja os outros capítulos na coluna do Gabriel.