Felicidade

08/04/2014 20:30

 

Um conceito estranho este: a felicidade. Para alguns uma simples pincelada em uma tela e aquele sentimento de satisfação já aflora pelo peito, uma sensação de orgulho, de satisfação, bem, de felicidade. Para outros basta o sinal agudo do final de uma aula que até lágrimas são vistas nos cantos dos olhos, tanto dos alunos, quanto os de uma professora, interrompida no meio de sua explicação por 20 alunos se matando por ar puro.

Feliz aquele que vê no hospital o familiar melhorando, mas indiferente quanto o paciente ao lado. Feliz o familiar desse outro paciente, e os seus amigos, que comemoram pedindo uma pizza, estando o entregador feliz ou não.

Os que não estão feliz são aqueles que, apesar de tudo o que acontece, vê a felicidade dos outros, mas não reconhece a própria. Infeliz aquele que também pediu pizza para o seu familiar, mas sabe que a pizza vai custar dinheiro, que ele não tem. Infeliz aqueles que saem da aula aos berros pensando que terão que voltar no outro dia, são esses os infelizes.

Infelizes os que não correm atrás do que querem, que vivem a vida pensando nos outros, mas felizes aqueles que acham na sua vida a forma de ajudar sempre que pode. Assim como são infelizes os que nunca conheceram a amizade, mas felizes aqueles que por mais que não conheçam, reconhece no rosto das pessoas quando passa na rua.

Triste quando a infelicidade chega a rasgar os pulsos, achando que a felicidade se encontra escondida em algum lugar entre todo o sangue no chão, mas nunca está lá. A felicidade não se encontra em dor, em sofrimento de outros, nem nada disso. A felicidade sempre fica parada, esperando para ser vista, ser notada. Alguns a ignoram, erguem paredes em volta dela e acabam erguendo paredes em volta de si mesmos. Outros quebram paredes que já foram colocadas lá, não importa o quão espessas forem.

Feliz aquele que reconhece a felicidade do outro. Triste aquele que não reconhece a felicidade em si mesmo. Sim, um conceito estranho esse, a felicidade.
 

Giordano Devêza é aluno do 9º ano e escreve mensalmente neste espaço.