Hey! Você é fiel?

05/09/2012 15:26

 

 

Detalhe da obra "O casal Arnolfini", quadro de referência do pintor flamengo Jan van Eyck (1434).

 

    Calma, platônico leitor! O título não se refere àqueles programas de resolução de casos familiares da TV aberta que passam nas tardes diariamente. Tampouco estou querendo saber se você andou por outras “vizinhanças”...

    A minha questão é mais abrangente. Quero saber se você é fiel aos seus valores mais nobres e importantes. Tenho falado aqui de correria, consumismo, atos automáticos e realmente, muitos coisas vão ficando pelo caminho. E “a gente vai levando”, como diria o poeta. Mas e quanto às suas crenças mais nobres? Justiça, amor ao próximo, caridade sem cobrança, amizade sincera e por aí vai... Tem um lugarzinho para estes sentimentos no seu coração? Ou melhor, você os pratica? Não deveríamos fazer este tipo de reflexão só no final do ano, assim como não deveríamos comemorar com nossas mães o dia delas apenas em um domingo anual, não é mesmo?

    Às vezes penso que estamos vivendo em cápsulas ou casulos hermeticamente fechados; E isso não rola certo? Também já escrevi aqui que viajar é bom demais da conta, mas estou rodeado de gente dizendo que prefere bombar seu PC de memória a viajar. Questão posta: não é melhor pisar na areia de uma bela praia ou no corredor de algum museu famoso, do que vê-los por uma tela??  Sugiro que você pense a respeito.

    Voltando ao título/tema desta crônica, sugiro ainda que hoje, amanhã e no mês que vem, eu, você, seu vizinho, seu chefe, sua professora e todos que nos rodeiam, possam ser pessoas melhores, mais solidárias e educadas. Não vou levantar a bandeira sindical dos politicamente corretos; apenas quero, e imagino que você também queira um mundo melhor. E penso que ser fiel ao que se acredita é meio caminho andado.

    Sabe aquelas frases que sua mãe fala e que você odeia ouvir?  Acredite, são todas verdadeiras. E tente também ouvir a voz do seu coração e da sua intuição. Aposto que resultados não tardarão a chegar.

    Como não poderia deixar de ser, indico a você uma música que ficou na minha cabeça a tarde inteira, depois que a ouvi quando passava na porta de uma loja. Não por acaso, ela fala de esperança e de dias melhores, que é o que eu quero pra todos nós:

    “Desejo que você tenha a quem amar. E quando estiver bem cansado, ainda exista amor pra recomeçar (...)” – Frejat/ Barão Vermelho.

Abraço cordial !!!

PS.: Abraço à aluna Clarinha Magalhães pela fidelidade literária.

( Eduardo C. Souza é professor de História e escreve mensalmente neste espaço. Ele acredita que ser fiel ao que se acredita só traz benefícios).

Contato: eduardodesouza72@gmail.com