Thaís D'Angelo

Estou sentada dentro de um lindo Cooper amarelo gema, me debulhando em lágrimas, enquanto observo algumas fotos que trouxe comigo. Ao meu lado, no banco do passageiro, um buquê com rosas vermelhas começam a murchar. Reparo que o buquê contém um cartão que diz: “Para minha princesa dos cabelos negros, os lábios rosados, olhos azuis como o céu e a pele mais branca que a neve… Te Amo!” Nunca foram ditas palavras mais estúpidas e mentirosas.
Pego o buquê e saio do carro. Caminho até a beira. Céu nublado. Jogo o buquê que carrego comigo, e o admiro cair até perdê-lo de vista. Fecho os olhos. O vento gélido estapeia o meu rosto. Estou numa lucidez insana. Estúpidos devaneios. São como uma nesga de luz, na escuridão de uma mente cega, mas não me farão mudar de ideia. Ainda de olhos fechados, penso em tudo aquilo que deixarei para trás. Abro meus olhos. Está tudo fosco. Vejo o sol nascer no horizonte, por trás das montanhas ao redor do penhasco. Será a cena perfeita. Meus olhos ardem por causa do frio. Torno a fechá-los. O vento gélido que estapeava o meu rosto, começa a ficar mais forte. Abro os meus braços para sentir pela última vez o gosto da liberdade, e pulo.

 

Thaís D'Angelo

 

Artigos

Minha Inusitada Procura pela Felicidade

02/10/2012 13:45
              As tardes de domingo sempre foram tediosas para mim.      Na verdade, as tardes dos fins de semana sempre foram tediosas, sempre passei dentro de casa vendo televisão ou no computador, de preferência no meu...

O motivo pelo qual escrevo

17/08/2012 22:37
               Perguntaram-me por que gosto tanto de escrever e na hora não soube responder. A verdade é que nunca tinha parado para pensar nisso.     Acho que gosto de escrever para criar mundos e viajar através deles, fugir...

A Vida é um Labirinto

13/07/2012 22:10
                                                                “Labirinto”,labirinto de materiais recicláveis, de Eduardo...

A madeira das portas e das janelas estão podres, a pintura está surrada...

07/05/2012 19:54
  A madeira das portas e das janelas estão podres, a pintura está surrada e algumas paredes contém alguns rabiscos feitos a alguns meses atrás. Os poucos móveis que existem ali estão cindo aos pedaços e a cama, bom, é só um colchão jogado no chão. Estou deitada de camiseta e calcinha,...

No início, tudo parecia funcionar. A felicidade reinava...

07/05/2012 19:50
          *No início, tudo parecia funcionar. A felicidade reinava, sorrisos estavam estampados nos rostos, a alegria era frequente. Mas um dia as máscaras caíram, as ações dele deixavam marcas para que ela pudesse se lembrar que era dela a culpa de algo...

Ela não queria, mas amou...

07/05/2012 19:48
    Ela não queria, mas amou. Sorriu, cantou, pulou, dançou, sonhou, fez planos e se decepcionou. Viu tudo ir por água abaixo, pensou que seu mundo tinha desabado. Sofreu, chorou, gritou, se isolou, ela era mais uma garota no mundo com o coração partido, nunca pensou que...

Trancada no quarto, deitada na cama...

07/05/2012 19:43
                      Trancada no quarto, deitada na cama. A música passa pelos fones e invadem os meus ouvidos. Uma melodia melancólica. Surgem estúpidos devaneios. Lágrimas cortam como lâminas afiadas e escorrem...

O céu começou a ficar nublado...

07/05/2012 19:41
    O céu começou a ficar nublado. As ondas soavam como uma sinfonia para meus ouvidos. Sentada, eu admirava a paisagem. Havia areia nos meus pés, mas eu não me importava. A energia transmitida pela natureza era inexplicável. Algo mágico, que só podia ser sentido de...